Vida de ventos e velas

Há um ditado romano que diz : “quando não houver vento, reme . Se tiver vento, ajustes as velas”. Ou seja, faça alguma coisa pra dar certo. Se falhar, falhe tentando; pelo menos você terá a certeza que fez o que tinha que ser feito. A palavra crise, na língua portuguesa, tem a mesma raiz que a palavra critério, que vem de crinós, do grego. Em tempo de crise é tempo também de critério – sinônimo de juízo, de bom senso – e de crítica. Que é investigação , pesquisa, procura. Em tempos de crise deve se ficar mais atento, pesquisar mais, ter mais critério.

O corvo branco

Não foi nem uma e nem duas vezes que ouvi a história do corvo branco. É um conto antigo em nossa família, que os pais contam para os filhos irem para a cama cedo, afinal “ele só aparece a noite”. Os mais antigos, porém, garantem que não é só um conto, mas algo real. Um mal presságio que antecede a morte.

A CENTÉSIMA

O ano é 2003. A cidade é Videira, no Meio-Oeste Catarinense. Reunião em família com muita discussão, dúvidas, deliberações, e enfim a decisão: fazer Comunicação com maiúscula, oferecendo qualidade nos serviços prestados e materiais elaborados.

O medo e suas variantes

A origem dos nossos medos remonta priscas eras, mas basicamente pode-se catalogar alguns que convencionou-se chamar de nossos maiores medos. Napoleon Hill identificou 8 tipos de medo que fazem com que o ser humano perca a confiança em si mesmo.

Quem pensa enriquece

A literatura “como tornar-se bem sucedido” é um gênero editorial que ocupa milhares de quilômetros em prateleiras de livrarias americanas e no mundo. Eles começaram a surgir por volta de 1790, com a autobiografia do grande Benjamim Franklin, um dos fundadores dos Estados Unidos da America. Em seu livro, Franklin motiva,encoraja e educa os seus leitores por meio de seus discursos, sendo que alguns desses entraram no vocabulário corrente como, por exemplo, “não há ganho sem dor” e “Deus ajuda quem cedo madruga”.


Todo dia um novo ciclo

A maioria das pessoas tem dificuldade de assimilar que tudo tem um começo, um meio e um fim. Nossa vida é composta por ciclos, alguns iniciam e outros encerram. É preciso encarar isso com maturidade e saber que nem a nossa vida vai durar para sempre. O que mais faz as pessoas sofrerem é quando o que se encerra é um relacionamento seja ele amoroso, de amizade ou até mesmo profissional. Quando isso acontece nossas inseguranças vem à tona e fazem com que questionemos ao universo e o nosso merecimento sobre a vida que levamos.

A temida era do cancelamento

Há tempos vivemos uma era sombria na internet. As redes sociais que foram criadas por seus idealizadores como uma forma de interação e compartilhamento de notícias e informações, tornaram-se palco para grandes discussões. Apesar de ressaltar que a liberdade de expressão é essencial para que as pessoas possam se expressar e lutar por suas causas, ensinando as pessoas e promovendo um despertar coletivo, a cobrança excessiva pela perfeição, somada a falta de respeito com as opiniões alheias, criou a era do cancelamento.

Autodisciplina e alcance de metas

Entre todas as coisas que ouvimos desde que somos crianças, a cobrança para agirmos com disciplina sempre foi constate. Ela não vem somente aliada ao respeito, a ética e ao seguimento de regras, é colocada no conceito de tornar uma prática consistente e dessa forma ser uma ferramenta importante para a realização de metas e sonhos. A disciplina faz com que nossas atitudes sejam pautadas para conquistar alguma coisa que tem relevância e importância no nosso desenvolvimento pessoal e profissional.

Uma pausa para pensar e proteger

Um vírus desafiador colocou grande parte do mundo em isolamento social. Não dá para romantizar uma doença tão devastadora que matou muitos e aterrorizou milhares, que sacudiu a economia e estremeceu governos. Mas partindo da premissa de que a maioria das pessoas não sabe pausar e nem se preocupa muito com o bem estar do próximo, essa quarentena foi um choque de realidade, para repensarmos nossa trajetória nesse mundo e ressignificarmos a nossa maneira de ver o mundo e nossos semelhantes.

Diga sim às vulnerabilidades

Todos temos limitações e conhecemos muito bem nossas vulnerabilidades e defeitos. Dentro das organizações onde trabalhamos, tentamos neutralizar essas questões ao máximo, na maioria das vezes por medo de retaliações. Porém alguns estudos tem mostrado que reconhecer suas limitações e trabalhar em uma empresa que lhe passe segurança psicológica para falar abertamente sobre essas questões que te deixam inseguro, buscando te deixar confortável tem sido a chave para equipes de alta performance.