Eu não sou um robô

O mundo mudou. Temos muito mais acesso a informação. A medicina faz avanços constantes e a informática e os eletrônicos parecem ter mais funções e mais opções a cada dia. Jamais imaginaríamos que poderíamos conversar por vídeo com uma pessoa que está do outro lado do mundo em tempo real, utilizando apenas um smartphone. A nossa relação com aparelhos e máquinas se estreitou e os processos dentro das linhas de fabricação das empresas foram tomadas por eles, mas será mesmo que uma máquina ou um eletrotônico é capaz de substituir uma pessoa?