O uso exagerado dos anabolizantes


A busca por um corpo “perfeito” e padrão faz com que as pessoas comecem uma rotina de exercícios e alimentação saudável, o que faz muito bem para corpo e mente e faz com que ambos funcionem em um ritmo melhor e mais eficiente, tornando o funcionamento do organismo mais eficaz. Porém, na busca por resultados imediatos, as pessoas acabam por tomar atitudes desesperadas. O uso de remédios para emagrecer de forma rápida e dos anabolizantes sem acompanhamento médico, se popularizou e tem causado danos à saúde de seus usuários.

Quando se toma a decisão de mudar seu corpo e estilo de vida, sempre existe uma motivação. Seja um padrão socialmente imposto, ao qual você não se encaixa, seja a vontade de mudar e ter hábitos mais saudáveis ou em casos mais extremos, por conta de um aconselhamento ou médico, ou por doenças que já lhe afetam ou podem afetar. O problema do ser humano é ser imediatista. Ele começa uma reeducação alimentar e exercícios físicos para tonificar os músculos e em uma semana já deseja ter perdido dez quilos e ter ficado com os músculos aparentes, porém todos nós sabemos que para obter resultados é preciso determinação e meses de uma rotina de esforços. E é nessa ânsia de obter resultados rápidos, que as pessoas acabam recorrendo a drogas sintéticas, como é o caso dos esteróides androgênicos anabólicos, conhecidos como anabolizantes.

Os anabolizantes são drogas artificiais, derivadas principalmente de uma imitação da testosterona, hormônio conhecido por “comandar” o corpo masculino, mas que também é encontrado em pequenas quantidades no corpo feminino. A principal ação da droga é o aumento de água no interior das células musculares, provocando um inchaço quando aliada à prática da malhação, fazendo com que os músculos cresçam mais rápido. Depois de entrar no organismo, invade células como as musculares e do fígado, causando alterações bioquímicas. Além de reter líquidos os anabolizantes aceleram a atividade metabólica. Eles incrementam o anabolismo, que é a fase pós-exercício, em que o corpo repõe a energia e reconstrói as células degeneradas. Se o usuário pegar pesado na academia, poderá ganhar até oito vezes mais massa muscular do que alguém que não utiliza os anabolizantes. Esse efeito rápido e quase mágico pode custar caro ao organismo, levando em conta que os efeitos podem ser devastadores e podem levar à morte devido ao uso exagerado e sem acompanhamento, porém a droga pode ter efeitos positivos e benéficos quando utilizados de acordo com prescrição médica, para pessoas que sofrem com doenças degenerativas e na reposição hormonal, também sendo indicada à astronautas após longos períodos no espaço.

Quando utilizados sem prescrição médica e em quantidades inadequadas e exageradas os anabolizantes podem provocar a longo prazo inúmeros efeitos colaterais, como arritmias cardíacas e perda da função total do fígado. Quando usados por adolescentes, pode causar o fechamento prematuro das epífises, levando a interrupção do crescimento.

Conheça os efeitos colaterais no organismo de homens e mulheres:

AMBOS OS SEXOS

 

- Propensão a problemas cardiovasculares: o colesterol LDL transporta o colesterol do fígado às células, enquanto o HDL faz o inverso, retirando o excesso de colesterol e levando-o de volta ao fígado para ser eliminado pelo corpo. Sendo assim, o LDL é conhecido como colesterol ruim e o HDL como colesterol bom. Logo, após o consumo dos anabolizantes o corpo tem aumento nos níveis de colesterol ruim o que causa uma propensão maior a problemas cardiovasculares.

- Aumento dos riscos de tumores e danos ao fígado: o uso de injeções de testosterona de maneira indevida, contribuí para o aumento dos níveis de algumas enzimas que estão relacionadas a toxicidade do fígado o que pode causar danos irreversíveis como tumores. 

- Acne: o surgimento ou aumento do número de acne na pele, está relacionado com a estimulação das glândulas sebáceas, causadas pelas testosterona ao produzir mais óleo. Os locais do corpo mais afetados são o rosto e as costas.

- Queda de cabelo: a queda de cabelo por fatores hormonais, também conhecida como alopecia androgenética ou calvície, ocorre devido a ação da dihidrotestosterona, um derivado da testosterona, nos folículos pilosos. Nas pessoas com predisposição genética, esse hormônio liga-se aos receptores presentes no couro cabeludo, levando ao afinamento dos fios e a sua queda. Dessa forma o uso da testosterona e seus derivados pode agravar e acelerar esses processos.

- Alterações nas articulações: o uso abusivo dos esterides pode aumentar o risco de lesões nos tendões, pois é preciso levar em conta que a estrutura osteoarticular não consegue acompanhar o crescimento dos músculos, inibindo a síntese de colágeno em ligamentos e tendões.

- Mudanças e alterações comportamentais: os usuários podem apresentar mudanças visíveis no seu comportamento como agressividade, hiperatividade e irritabilidade.

HOMENS

 

- Atrofia dos testículos e diminuição dos espermatozoides: o organismo passa a inibir a produção de testosterona quando esse hormônio está em níveis muito altos. Esse acontecimento que é chamado de feedback negativo, consiste na inibição da secreção de gonadotrofinas elas são hormônios secretados no cérebro que estimulam a produção de espermatozoides. Dessa forma, se elas são inibidas pela testosterona, vão deixar de estimular os testículos para produzir espermatozoides, podendo causar atrofia e infertilidade.

- Alterações no desejo sexual e impotência: ao começar a utilizar os anabolizantes ocorre o aumento do desejo sexual, sendo o feedback negativo o que conduz a impotência sexual.

- Ginecomastia (aumento das mamas): ocorre porque a testosterona e derivados em excesso são convertidos em estrogênio, ou seja, os hormônios femininos responsáveis pelo aumento das glândulas mamárias.

- Estrias: seu aparecimento, está associado ao rápido crescimento muscular induzido pelos anabolizantes.

MULHERES

 

- Masculinização: a testosterona é um hormônio encontrado em pouca quantidade no corpo feminino, ao ingerirem os esterides e aumentar os níveis desse hormônio, podem ocorrer alterações no timbre de voz, aumento nos pelos faciais, irregularidades menstruais, hipertrofia do clitóris e diminuição das mamas, dando às mulheres aspectos e traços mais masculinos e induzidos pela testosterona.

Mesmo possuindo vários efeitos colaterais adversos, o uso dos anabolizantes pode ser de extrema importância para tratamentos de finalidade clínica, como é o caso dos distúrbios hormonais e efermidades; no tratamento do hipogonadismo nos homens para aumentar a concentração de testosterona e derivados essenciais ao desenvolvimento e manutenção de características sexuais masculinas. São utilizados na puberdade e no crescimento retardado, deficiência androgênica parcial em homens idosos, terapia da deficiência androgênica secundária a doenças crônicas e no tratamento de micropênis neonatal. Há uma associação dos anabolizantes também ao tratamento da osteoporose, além de trazer benefícios à saúde como o aumento da força muscular, regulação do trato intestinal e faculdades mentais. Para tirar suas dúvidas a respeito de tal substância ou fazer uso das mesmas, busque por atendimento especializado de profissionais.


Matérias Relacionadas
COMENTÁRIOS