Invista em práticas de RH


Se a gestão e o financeiro são o cérebro de uma organização, o setor de recursos humanos é o coração. Mais do que apenas realizar tarefas burocráticas de contratações e demissões a equipe de RH, é uma observadora nata. Além de compreenderem as necessidades dos colaboradores são responsáveis por mantê-los motivados, além de fazer a ponte entre chefe e funcionário. Para isso é preciso investir em práticas de RH dentro da sua empresa, para mantê-la no páreo do mercado competitivo.

A área de recursos humanos de uma empresa não pode ser negligenciada. O setor pode ser composto tanto por uma equipe, quanto apenas por uma pessoa. Em empresas menores esse trabalho é realizado pelo próprio gestor. Esse setor da empresa é conhecido por muitas pessoas apenas por realizar contratações e demissões. Porém essa área se caracteriza por uma associação de habilidades e métodos, políticas, técnicas e práticas definidas com objetivo de adiministrar os comportamentos internos e potencializar o capital humano e tem por finalidade selecionar, gerir e nortear os colaboradores na direção dos objetivos e metas da empresa, ou seja, estabelece uma relação de parceria e ajuda mútua com os colaboradores, além de ter como uma das missões manter os funcionários motivados e vestindo a camisa da empresa.

Os empresários sabem que o sucesso da empresa depende da forma como coordenam o seu pessoal, ou seja, como gerenciam seu capital humano. Para isso é preciso trabalhar com o RH de forma mais moderna, inovadora e inteirada em todas as tendências e exigências do mercado. Planeje tudo com cuidado e não meta os pés pelas mãos investindo em práticas ou equipamentos tecnológicos que não fazem parte do seu poder de compra no momento, ou até mesmo que não são aplicáveis a realidade da sua organização.

Ao pensar na sua empresa a analise sempre de forma geral e idealize práticas que sejam viáveis a realidade da sua organização e dos seus colaboradores. Comece sempre investindo em capacitação para desenvolver todo potencial dos seus colaboradores. Os incentive a reciclarem seus conhecimentos e nunca pararem de aprender, pois um colaborador com mais conhecimento e vontade de aplicá-lo ao universo em que atua é muito construtivo dentro da organização e pode ser visto como exemplo pelos demais. Programas como planos de carreira, podem ser excelentes aliados para incentivar os funcionários. Adotar práticas de remuneração mostra o reconhecimento que a empresa tem para com o colaborador e aumenta seu engajamento para com ela, ajustes salariais ou bônus por metas alcançadas funcionam bem nos casos de grandes desempenhos.

Faz parte das práticas de recursos humanos a observação. Ao fazer isso é preciso identificar quais fatores afetam o bem-estar da equipe e para isso é preciso compreender a vida e a personalidade de cada membro dela, para que o clima organizacional seja positivo e para que todos sintam-se confortáveis dentro da empresa, sem sentirem-se julgados, humilhados ou inferiores aos demais colegas. Estabeleça conversas francas com seus funcionários sobre o andamento dos projetos e sobre o seu contentamento para com a empresa e colegas de trabalho, se você tem dificuldades em obter essas respostas nas conversas frente a frente, faça pequenos questionários anônimos sobre os fatores que afetam a motivação e satisfação dos colaboradores e peça também sugestões para melhorar as questões que estão sendo criticadas, isso estabelece uma relação de proximidade e abre canais para o diálogo e comunicação. É importante que você tenha esse feedback da sua equipe de trabalho.Não se deve menosprezar nenhuma ideia, sentimento ou crítica, cada um tem uma história e experiências diferentes, que agregarão e muito na pluralidade da equipe e melhor compreensão de todo tipo de cliente. Saber ouvir estabelece uma relação de confiança entre liderança e a equipe.

Quando a empresa avalia o desempenho do funcionário faltam mecanismos de mensuração e os colaboradores são analisados de forma comparativa e isso se chama de sistema de benchmarking (processo sistemático e contínuo de comparação das práticas, processos e resultados dos concorrentes, visando melhorar a competitividade). Embora seja um sistema útil ele tende a replicar práticas comuns e não gera um entendimento do que é realmente importante para a sua organização. Dessa forma os colaboradores são muito mais avaliados por suas atitudes e seu temperamento do que pelos resultados que seu trabalho apresenta para a empresa. Isso ocorre porque a organização não investe nem tempo e nem práticas para entender quais fatores contribuem para o desempenho dos profissionais. As vezes o fato de um profissional produzir mais em termos quantitativos, não quer dizer que ele seja mais empenhado ou melhor do que os demais e sim porque ele adota procedimentos que facilitem o seu trabalho e entendimento dos clientes e da organização. Falta a compreensão de que mesmo que dois funcionários atuem em uma mesma área, são pessoas diferentes, com comportamentos e atitudes diferentes e que ambos tem muito a contribuir um com o outro se compartilharem experiências e métodos de trabalho, gerando uma relação melhor e melhores índices para a organização perante os concorrentes.

Em geral todas as empresas visam se fortalecer no mercado como boas para comprar e fazer negócios, buscam ser bem vistas pelos clientes e esquecem de se fortalecer como uma marca empregadora, ou seja, investir na sua imagem de local bom para trabalhar e para prosperar na carreira, isso faz a empresa ser valorizada pelos já colaboradores e por pessoas que podem ser um grande reforço para a equipe e se interessem em trabalhar na organização. Essa prática é conhecida por marca empregadora e também employer branding e é muito utilizada em empresas modernas como as startups, mas pode ser aplicada em qualquer organização, afinal as pessoas são distintas e se atraem por diversos tipos de negócios e empresas, ou seja, mesmo que a empresa seja conservadora ela pode explorar essa prática. Comece contando a história da sua organização, mostre os ambientes detrablho, os produtos, os colaboradores e prove que sua empresa é feita por pessoas e quais são as vantagens de trabalhar nela. Para investir na marca empregadora, a sua organização tem que fazer no dia a dia de trabalho o que divulga nas redes sociais, se você vender uma imagem diferente do que executa, será um tiro no pé. Para trabalhar nesse desenvolvimento da marca, o RH deve se aliar ao marketing da empresa que é quem tem o conhecimento total da imagem da marca, para que sejam desenvolvidas ações criativas e de vasto alcance.

O setor de Recursos Humanos é o coração da empresa, sem dúvida alguma. É o contato direto com os colaboradores que são os responsáveis pela produtividade da organização e tudo só ocorre de forma sincronizada se houver um bom líder.


Matérias Relacionadas
COMENTÁRIOS