Desenvolvimento Musical


Quando somos bebês talvez tenhamos ouvido a música do Ursinho Pimpão, um porção de vezes quando nossos pais tentavam com muita persistência nos colocar no berço sem que acordássemos e eles perdessem mais uma ou duas das suas poucas horas de sono nas madrugadas a dentro. Quando estamos aprendendo a falar, somos apresentados ao Pintinho Amarelinho ou a Dona Aranha e assim cantamos (do modo que sabemos), e dançamos fazendo movimentos repetidos que nos foram ensinados. Quando já temos um pouco de consciência a respeito do nosso corpo e uma certa idade para expor nossas opiniões, somos matriculados a aulas de dança, canto e instrumentos musicais. E é dessa maneira que tomamos gosto pela música. Podemos não ser exímios instrumentistas e talvez nossa platéia sejam os vidros de shampoo, mas a música faz parte da nossa vida e do nosso desenvolvimento com toda certeza.

 Muitas escolas tem utilizado  aulas de musicalização para colaborar com o desenvolvimento de seus alunos, principalmente os da educação infantil. A música tem ligação total com a arte e com a cultura, ou seja qual a percepção de mundo de cada aluno de acordo com o ambiente onde ele vive e com as pessoas com quem convive. Temos que lembrar que toda a criança é um reflexo de sua criação e do que é exposta, por isso não cabe julgar suas influências culturais e sim entender de onde elas vem, para poder apresentar-lhes coisas novas e deixar que ela decida do que gosta e vá formando seus valores como cidadão.

 Através da música é possível exercitar toda a estrutura da educação das crianças, além de ser lúdico e prazeroso e incentivar a imaginação e a interação, as crianças se manifestam através das canções, dança e teatro. Essas atividades propostas na escola podem ter objetivos preventivos nos aspectos:

Físico: Oferecendo atividades que promovem o alívio das tensões devido a instabilidade emocional e ao cansaço ou tédio;

Psíquico: Promovendo estímulos ao processo de expressão, comunicação e descarga emocional através dos sons e melodias;

Mental: Proporcionando situações que contribuam com o desenvolvimento dos sentidos de ordem, harmonia, organização e compressão, tanto com relação ao ambiente, as outras pessoas e a si mesmos.

A musicalidade feita de forma contínua melhora consideravelmente as relações aluno/professor e aluno/aluno, pois a música une culturas e gerações e tem a capacidade de estreitar relações interpessoais., abrindo um leque de oportunidades para o desenvolvimento cognitivo, ajudando na busca e aprimoramento do conhecimento de cada uma das crianças, as tornando mais ativas, curiosas e melhorando sua desenvoltura corporal e linguística, através de:

Desenvolvimento sócio afetivo: a criança aos poucos forma sua própria identidade, percebendo que é diferente dos demais e ao mesmo tempo buscando interagir e integrar-se com eles respeitando suas particularidades. Através da música, a criança desenvolve a autoestima e aprender a se aceitar e aprender sobre suas limitações e capacidades, qualidades e defeitos. As atividades de musicalização em grupo melhoram a socialização, a compreensão e estimulam a cooperação, assim a criança fortalece o conceito de respeito ao próximo. Sem contar que ao se expressar musicalmente em atividades que lhe geral prazer e a fazem se sentir a vontade, ela tem mais facilidade de liberar seus sentimentos e expressar suas emoções, desenvolvendo sentimentos de segurança e realização pessoal.

Desenvolvimento cognitivo/linguístico: Todos os conhecimentos que a criança acumula até começar a ir para a escola e ter contato com pessoas e culturas diferentes, ela traz das vivencias que passou até então e das pessoas que lhe cercam. Dessa forma as experiências musicais vividas pro elas em casa farão com que ela tenha facilidade em participar ativamente das atividades favorecendo o desenvolvimento dos seus sentidos. Ao trabalhar com sons ela desenvolve sua capacidade auditiva e passa a ouvir melhor, aprendendo a detalhar ritmos e sentimentos musicais. Quando ela acompanha com gestos ou danças ela está trabalhando a sua coordenação motora e sua atenção e concentração. Ao cantar ou imitar sons ela descobre suas capacidade e se relaciona com o ambiente em que vive.

Desenvolvimento psicomotor: Quando são propostas atividades musicais, são oferecidas a criança muitas oportunidades de aperfeiçoar suas habilidades motoras e aprender a controlar os músculos ao movimentar seu corpo com desenvoltura. Para isso o ritmo tem um papel muito importante na formação e equilíbrio do sistema nervoso, porque toda a expressão musical ativa age sobre a mente da criança, favorecendo um impacto emocional a mente aliviando as tensões. Ao cantar fazendo gestos, dançando, batendo mãos e pés a criança desenvolve senso rítmico e coordenação motora, fatores importantes também para o processo de desenvolvimento da escrita e leitura.

É em sala de aula que os alunos começam a revelar suas especialidades e desenvolver suas habilidades. Já é possível descobrir escritores, médicos, engenheiros e musicistas ainda na escola, os observando. É papel dos pais e educadores incentivarem as crianças e adolescentes a aprimorarem suas qualidades e se tornarem muito bons naquilo que gostam de fazer. Como nesse espaço os alunos são obrigados a conviver com outras pessoas, tendo opiniões distintas e formas de ver o mundo muito diferentes, isso instiga não só sua compreensão de coletividade, como de respeito. A música é importante nesse processo de aprendizagem, porque é considerada um linguagem universal, que une pessoas e faz ela buscarem o seu melhor para si mesmas e para o ambiente onde vivem.


Matérias Relacionadas
COMENTÁRIOS