Febre: e agora? - Andréia Baldissera


  A febre é uma das queixas mais freqüentes nos pronto-atendimentos. Mas o que é? Por que ocorre? Quando medicar? E quando se preocupar?

  Febre é uma elevação da temperatura corporal que ocorre em resposta a ativação do sistema imunológico. O objetivo é bom: ajudar na recuperação e servir de alerta ao indivíduo. Entretanto, os efeitos colaterais não são tão legais assim. A elevação da temperatura causa sensação de mal-estar, dor no corpo e diminuição do apetite. Então, uma criança febril costuma ficar mais quietinha, chorosa e pode não querer comer. E isso não quer dizer gravidade!

  A recomendação é que se medique febre acima de 37,8ºC e observe. Mas, até quando? Se você medicou e após abaixar a temperatura a criança está ativa, brincando, você pode aguardar até 48h. Não passou: leve para avaliação.

 

AS EXCEÇÕES SÃO:

·  Recém-nascido,  até 1 mês de idade: medique e leve para avaliação sempre!

·   As crianças que apresentarem, além de febre, sinais de desidratação ou vômitos que não melhoram com medicação; ou febre acompanhada de sinais de desconforto respiratório (respiração mais acelerada que o normal ou com barulhos anormais), devem procurar um pronto-atendimento.

·   Por fim, a criança que estiver com febre e ruim (muito sonolenta/ estranha) mesmo após diminuição da temperatura: leve-a também.

 

O MELHOR TIPO DE CONTROLE

  Na maioria das vezes a febre é a primeira manifestação de uma infecção viral e infecções virais geralmente são auto-limitadas, quer dizer que melhoram sem necessidade de medicamentos específicos em dois a três dias. Além disso, a reação inflamatória leva um tempo para aparecer, a febre é um sintoma precoce e no primeiro pico febril será muito difícil diagnosticar sua causa. Provavelmente, irão aparecer outros sintomas na sequência: vômitos, tosse, manchas pelo corpo, diarréia, dor de ouvido, garganta... Se a criança for levada ao atendimento muito no início do quadro não se chegará a conclusão da origem da febre, provavelmente acabarão fazendo exames desnecessários  e precisarão reavaliá-la outro dia.

  Outro ponto a se observar é: antibiótico não combate febre. Antibióticos agem em infecções bacterianas e, mesmo nessas, é preciso aguardar 48 horas para que façam efeito e nesse tempo é aceitável que a criança mantenha-se febril.

Tenha paciência, dê tempo ao corpo para que possa se defender. Lembre-se: febre faz parte da defesa, ela não é uma doença, é um sinal de alerta e está tentando ajudar.


Matérias Relacionadas
COMENTÁRIOS