O gestor de riquezas


Se você nunca sentiu na pele a ocorrência de um sinistro, com certeza é uma pessoa de sorte. Mas se você já esteve desse outro lado e teve o apoio da ERS Corretora de Seguros, com certeza você é uma pessoa esperta. Liderada por Paulo Norberto Stechinski, a empresa completa 25 anos com um mix de produtos expandido, filiais em outras cidades e colaboradores dispostos a lutar pelo que você mais valoriza. Em entrevista à Êxito, Paulo divide sua história.

Como vocês entraram no ramo de Seguros?

Tudo começou em 1994, com meu irmão, Roberto, mais precisamente em 1º de abril, abrimos a ERS Humanas Assessoria LTDA. Na época, atuávamos com consultoria para o setor de RH (Recursos Humanos) e assessorávamos na contratação e manutenção das apólices de seguro de vida em grupo e de seguro saúde nas empresas da região. Também comercializávamos seguro de vida em algumas agências do Banco Bradesco.

No mesmo ano, começamos a atuar nos ramos de seguro de automóvel, residencial e empresarial, em parceria com uma corretora de seguros. Em agosto, durante a Festa da Uva, fechamos nossos primeiros seguros de automóveis. Nossas atividades com corretagem de seguros propriamente ditas tiveram início em 1º de abril de 1995, quando abrimos a ERS Humanas Corretora de Seguros Ltda, em Videira.

 O que mudou desde 1995?

O ramo de seguros cresceu muito desde então. Podemos dizer que hoje existe seguro para quase tudo como Seguro Garantia, Responsabilidade Civil, Carga e até Seguro de Vida para Animais (bovinos, equinos, etc.), além dos seguros tradicionais. A parte burocrática ficou menos trabalhosa atualmente. Quando começamos, os cálculos eram realizados à mão, as propostas eram datilografadas e então enviadas por fax – bem diferente do mundo digital atual! E nessa perspectiva de redução da burocracia e inclusão do meio digital, também passamos a atuar como Autoridade de Registro com a Certificação Digital: uma ferramenta que veio para ficar e que terá usos cada vez maiores nos próximos anos em função da segurança, redução de papel e de tempo dos usuários. Para termos uma ideia, o Brasil atingiu a marca de 9 milhões de certificados digitais ativos. Algumas coisas, porém, continuam iguais. Nós continuamos a atender a agência de Videira do Banco Bradesco na parte do seguro, por exemplo.

Por visualizar esse cenário, nós também inovamos ao acrescentar ao nosso mix de produtos uma linha financeira que engloba Consórcios, Financiamentos, Cartão de Crédito e Previdência Privada. Para que isso fosse possível, aumentamos nosso número de colaboradores (e obviamente também crescemos em número de clientes), ampliamos o espaço físico, abrimos mercado em outras regiões e também abrimos filiais.

Como é trabalhar com a segurança de várias famílias, perante a imprevistos?

Temos que ser “gestores” das riquezas de nossos clientes. Isso envolve apresentar a melhor opção na contratação do seguro, o que exige muita responsabilidade já que um seguro mal contratado vai prejudicar na hora da indenização. No momento em que ocorre um sinistro, as pessoas ficam fragilizadas e é aí que entra a expertise do negócio. Um seguro bem feito dificilmente trará problemas no seu processo de liquidação.

Como você enxerga o mercado de seguros?

O mercado está aberto, existe muito campo para atuar. No Brasil ainda não temos a cultura de contratar seguros. O seguro agrícola, por exemplo, é contratado em menos de 20% da área plantada enquanto que nos Estados Unidos este índice ultrapassa os 90%.  O seguro residencial está na mesma situação no Brasil.

Com a melhor utilização de informações, as seguradoras conseguem precificar e selecionar melhor os riscos e melhorar os produtos.

A grande variedade de produtos e o apetite das seguradoras em novos riscos, garante que sempre teremos trabalho a fazer.

Não vou dizer que trabalhamos com todos os ramos de seguro, isso seria um exagero, mas o leque é bastante grande.

Você poderia dividir conosco alguns feedbacks que tiveram dos seus clientes?

Claro. Acredito que com o depoimento dos nossos dois primeiros clientes representando todos os demais, já podemos sentir como é nosso trabalho. Segundo Antônio Carlos de Souza “Foi numa noite de trabalho até mais tarde na antiga Perdigão, lá no último andar, quando o meu colega e hoje grande amigo, Paulo, me perguntou: ‘Estou a fim de abrir um negócio de seguros, o que você acha?’ Ele detalhou os seus planos, de certa forma pedindo uma opinião. Simplesmente eu disse, ‘Encare...vá lá, capacidade você tem, este tipo de negócio tem aceitação, siga em frente’. Depois desta afirmação me tornei seu primeiro cliente. Já se passaram quase 3 décadas e posso dizer que sempre tive a reciprocidade e o melhor atendimento como se continuasse, não só a ser o primeiro cliente, mas o único. Hoje, a empresa ERS está com um grupo de colabores que segue a mesma competência e respeito ao cliente herdadas de seu proprietário. Isto demostra uma coisa só: que uma boa liderança permeia a todos em uma organização, refletindo bons resultados, tanto para os clientes quanto para colaboradores”.

De acordo com Orides Cláudio de Souza: “Minha relação com a ERS Seguros é de longa data, desde a aquisição do meu primeiro carro. Até hoje todos os meus seguros estão com a ERS. Além de preço competitivo, o atendimento (que não foram poucos) é sempre de alto nível, com muita agilidade e eficiência. Um dos diferenciais é a predisposição em orientar quanto a melhor opção de custo-benefício na escolha de uma seguradora, de uma modalidade de seguro. Graças à relação de confiança estabelecida nestes 25 anos fico muito tranquilo quando preciso acioná-los, pois tenho certeza que não medirão esforços para atender-me, sempre dando o suporte necessário nas tratativas com a Seguradora”.

O que faz com que uma equipe tenha sucesso?

As pessoas precisam ter um bom relacionamento e estar engajadas em atender bem o cliente. É fundamental saber conduzir a sua equipe, ter um estilo de liderança adequado aos novos tempos e inspirar as pessoas a fazer aquilo que você faria ou até melhor do que você seria capaz. Quando você tem colaboradores engajados, eles pensam com a cabeça do dono e desenvolvem um sentimento de pertencimento com a empresa, dividem os mesmos objetivos pessoais e do negócio. Isso faz toda diferença na prestação de serviços. No nosso ramo, pensar em resolver o problema do cliente e oferecer para ele a melhor solução possível para minimizar problemas que ele possa vir a ter algum dia são fundamentais para o sucesso.

E que recomendação você daria para alguém, quando for contratar um seguro?

Que procure um profissional habilitado, que conheça realmente o que está vendendo, para não ter surpresa quando precisar acionar o seguro.


Matérias Relacionadas
COMENTÁRIOS