Mamãe esse é um ótimo investimento


O natal está chegando e os pequenos já estão atentos aos presentes. Existem os pedidos mais variados e até exagerados por parte das crianças, que são muito persuasivas quando o assunto é nos mostrar referências exatas do que eles querem ganhar. Coitado do bolso do Papai Noel. As crianças tem sido capazes de exercer grande influência na decisão de compra dos pais. E esse assunto não ficou preso somente no natal. Elas tem exercido esse poder ao longo do ano todo. Na busca por agradar, o bolso sofre. 

Eles não tem salário e a sua única fonte de renda é o bolso dos pais. Antigamente eles não tinham muita voz e nem sequer eram consultados quando o assunto era gastar dinheiro. Hoje eles escolhem o que comem, o que vestem e com o que brincam. Eles são muito persuasivos quando o assunto é provar todos os benefícios que um brinquedo, eletrônico ou roupa pode trazer, afinal uma menina acredita piamente, que poderá fornecer gelo para o suco da família se estiver vestida de Elsa e você em sua mente adulta, ajuizada e muito mais racional, não vai ousar dizer que não. 

Um estudo on-line realizado pelo Ipsos Media CT e comissionado pelo facebook, chamado “Meet the Parents”, afirma que as crianças tem exercido grande influência nas decisões de compra dentro da sua casa. Cerca de 59% dos pais afirmam que os filhos tem muito mais impacto nas decisões de compra do que eles tiveram em suas famílias durante o seu crescimento. As diferenças entre as relações no passado e atualmente são entendidas por 69% dos pais, que afirmam comprar mais produtos específicos para crianças do que seus pais compravam para eles próprios na mesma fase que seus filhos se encontram. 

A tática de importunar os pais para que comprem um produto é uma coisa considerada démodé e não funciona mais. O estudo aponta que essa estratégia está sendo substituída por uma série de informações, que faz com que as crianças tornem-se mini especialistas no assunto ou produto que lhes convém. A dinâmica de criar filhos mudou, junto com o avanço da tecnologia e envolve um conjunto de emoções diferentes 

No estudo, existe uma influência forte dos filhos para grande parte das famílias na hora de decidir viagens (65%), cosméticos e higiene pessoal (73%), refeições (70%), investimentos e serviços financeiros (70%) e os dispositivos eletrônicos (88%) que se compra. A maior parte dos setores da indústria, comércio e serviços é afetada pelo fato das pessoas terem ou não filhos e a idade que esses filhos tem. Além disso, as crianças preferem comprar on-line, já que 81% dos pais afirmam que seus filhos os influenciam a consumir no e-commerce.

As pessoas mudaram e essa influência das crianças na decisão de compra dos pais tem influenciado marcas a conversarem com as famílias de uma forma muito diferente do que se fazia há dez ou vinte anos atrás. As gerações mudaram e agora o pedido por um brinquedo, vem regado a uma enxurrada de informações, que fazem qualquer pai ficar convicto de que comprar uma fantasia de dinossauro, será o melhor investimento.


Matérias Relacionadas
COMENTÁRIOS