O medo e as flores

Há alguns dias discutimos sobre a florada das árvores. Falávamos sobre como as árvores florescem mais durante o tempo seco, numa tentativa de se reproduzir mais rapidamente, enquanto ainda há tempo. De alguma forma, a natureza entende seus tempos e não se deixa esmorecer pelas adversidades – ela busca superar os obstáculos para perpetuar a vida.

Vender mais e melhor

Equipes de vendas! Elas são as primeiras a serem lembradas quando o assunto é aumento de receita, mas nem sempre estão no topo quando o foco passa a ser o investimento empresarial. Antes de investir nos vendedores, consideremos fundamental que a empresa tenha clareza sobre que tipo de profissional de vendas ela procura, como ele pode desenvolver suas habilidades e adquirir mais conhecimentos e somente então trabalhar suas atitudes e outros fatores como a personalidade e o controle emocional.

Escrito em casa

Comecei a escrever esse editorial em casa em um escritório improvisado dividido com as filhas que tinham aula online. Na realidade, a quarentena foi um pouco mais bagunçada do que pareceu ser nas redes sociais. Entre o pijama e a Netflix, também trabalhamos e nos preocupamos com a pandemia e decidimos organizar esta edição digital para falar sobre como conseguimos nos manter produtivos em casa. Afinal, um dos desafios trazidos por essa nova realidade foi justamente o gerenciamento da equipe que já não estava mais reunida em um único espaço físico.

Uma história para contar

Caneta no papel, estrutura na cabeça e começamos a ter uma história. Opa! Espera! Novo arquivo de Word, estrutura na cabeça, caracteres em sequência, palavras, fim, salvar como, ok. No fim, todos contamos histórias. Histórias nos movem. Histórias nunca morrem porque sempre terá algum público para consumir cada narrativa. Algum público significa dizer que o público muda, se transforma de acordo com suas vivências, escolhas pessoais, experiências únicas, gostos, crenças.

Crescer em família

Quando pensamos em crescimento empresarial, pensamos na jornada que é manter uma empresa aberta. Não vou falar sobre carga tributária ou dificuldades do empresariado, prefiro mencionar a sua responsabilidade diante da manutenção das famílias dos colaboradores, afinal, para onde seus colabores iriam se a sua empresa não existisse? E que tipo de impacto o posto de trabalho que você oferece ao indivíduo causa naquele núcleo familiar que divide (ou não) a mesma residência?