Uma vida de cuidado - Irmã Ilva

Ela não viu, mas ainda lembra. A memória brincou com seus pensamentos até que recuperasse aquela que seria uma marca em sua trajetória: quando recém-nascida, sua mãe a entregou a Deus. E da devoção se desenhou a história de quem doou sua vida aos demais e viu nas crianças a construção do futuro. Para a Irmã Ilva cuidar dos outros é dar-lhes a oportunidade de construir sua própria história com autonomia e solidariedade.

Com amor, dona Carmem!

Imagine uma pessoa sorridente a plantar sementes de girassol na terra fofinha e regando pacientemente, até que virem lindas flores. Agora aplique essa teoria à educação e perceba como são similares. Foco e comprometimento sempre foram duas de suas qualidades mais admiradas. Em tudo que faz coloca boas doses de emoção e amor. Afirma com todas as letras e muito bom humor: “Eu gosto de gente!” e assim confirmamos que mesmo depois de algum tempo ensinar continua sendo a menina dos olhos de Carmem Maria Biscaro Verona.

Notas de uma vida

A música é uma das formas de arte e expressão mais antigas do mundo. Foi criada não apenas para ser ouvida, mas para ser sentida e apreciada. A música foi feita para ser “ouvida” com o coração. Com um sorriso tímido no rosto e um brilho sem igual nos olhos, João Batista Fernandes da Rocha, conhecido como Batista pela população videirense fala sobre sua relação com a música. Trabalhando a mais de 30 anos com essa arte, acumula boas histórias e uma grande experiência, com simplicidade nos contou sobre tudo o que leva na sua bagagem.

A paixão de uma vida

Uma bola nos pés e um coração no alto. Na garganta, o grito da vitória. No estômago, as borboletas do cotidiano. No corpo todo, em cada fibra, a dedicação para dar o melhor de si em qualquer desafio. Este é Márcio Brancher, natural de Videira, um atleta profissional que encontrou no futsal a sua paixão e cruzou o Atlântico para elevar sua carreira ao máximo.

Um sonho de canção

A plateia se levanta. Não aquela Plateia que lutou com Atenas nas Guerra Médicas e derrotou os persas, nem mesmo aquela que deriva do latim platea ou do grego plateia hodos e significa rua larga. A plateia que se ergue é o substantivo feminino: um conjunto de espectadores que ocupam um espaço designado. Plateia, o público que canta, pula, grita, se emociona e se permite sentir e extravasar. Aplaude. No palco, os irmãos Arthur Guilherme de Simas Secco e Alessandra de Simas Secco soltam a voz.


Da terra para a terra

A terra sob seus pés era tudo o que eu tinha de mais sólido. Erguia-se sobre ela, firme como quem ergue os olhos aos céus em profunda devoção. Nas mãos, a terra do barro de onde veio ao mundo. Na terra, as sementes que alimentariam um número de famílias assim que brotassem, crescessem e amadurecessem. Ele também brotou, cresceu e amadureceu. Luiz Vicente Suzin tem raízes no Campo Experimental, mas sua influência se expande para o vale do Rio do Peixe para atingir Santa Catarina e de Santa Catarina parte para o Brasil. Mas volta e volta para ficar.