Um lugar de acolhimento - Associação Maria Rosa – AMAR

Ela tinha 15 quando liderou uma causa em busca do bem-viver. Era jovem quando se lançou na briga e continuou eternamente jovem quando foi eternizada nas artes e na memória. Maria Rosa, a Joana d’Arc do sertão do Contestado, é exemplo para quem foge da opressão e exemplo para as mulheres que buscam uma vida melhor. Em Caçador, seu nome é exemplo de um novo começo.

Ao som das batidas do coração - Família Paganini

No palco as cortinas se abrem. A luz ilumina quatro silhuetas. Abre-se um coro de vozes harmoniosas e perfeitamente ensaiadas e entre graves e agudos muito bem colocados em cada nota cantada precisamente, eles encantam a platéia. Os aplausos que motivam os artistas aqui também promovem a união de uma família. Existem paixões que são herdadas e no caso dessa família, a música corre forte nas veias. A música fez da Família Paganini não só uma família, mas um negócio.

Estratégia para guiar uma vida - Juliano Zonta

Uma jogada. Lógica. Estratégia. Este é o xadrez. Um movimento que orienta todo curso de uma vida. Este é o xadrez da vida real. Não se trata apenas de um tabuleiro e de peças que possuem formas determinadas de agir. Se trata da forma de ver e viver. São as escolhas que determinam para onde vamos, quando agimos e quando olhamos no fundo dos olhos da vitória ou da derrota. Foi o xadrez que mudou a vida de Juliano Zonta. É o xadrez que orienta as ações do Professor Pena.

A música é um conjunto

“Para tocar um instrumento não é preciso ter um dom. Vale muito mais ter alguém que dê uma oportunidade. O ‘dão’ é melhor que o dom”, assim nos falou o professor e maestro Robson José Castilho Gregório momentos antes de uma apresentação da Fanfarra de Matos Costa. Há seis anos trabalhando com música, Robson e a comunidade matos-costense podem se orgulhar das expressivas conquistas das crianças com o brilhante desempenho da fanfarra e outros grupos formados pelas crianças de Matos Costa."

Passos para a felicidade

O rádio sintonizado em uma energia local, tocando uma música do momento nos fez sentir em casa. O cheiro do couro nos invadiu e permitiu que fizéssemos uma viagem no tempo. Faça chuva ou faça sol, ele estava lá. Chega as sete e meia e sai as dezoito horas. Realiza um trabalho de artista. Seus olhos contam histórias. Bem humorado no auge de seus 86 anos, o Sr. Luiz Bocca nos deu uma aula sobre seriedade, trabalho, boa índole e amor. Sua trajetória como sapateiro começou antes de pisar em terras videirenses, mas aqui o seu trabalho se consolidou. Sapateiro a 62 anos, confidenciou-nos sobre sua vida e sua jornada. E que jornada!


Uma vida de cuidado

Ela não viu, mas ainda lembra. A memória brincou com seus pensamentos até que recuperasse aquela que seria uma marca em sua trajetória: quando recém-nascida, sua mãe a entregou a Deus. E da devoção se desenhou a história de quem doou sua vida aos demais e viu nas crianças a construção do futuro. Para a Irmã Ilva cuidar dos outros é dar-lhes a oportunidade de construir sua própria história com autonomia e solidariedade.

Com amor, dona Carmem!

Imagine uma pessoa sorridente a plantar sementes de girassol na terra fofinha e regando pacientemente, até que virem lindas flores. Agora aplique essa teoria à educação e perceba como são similares. Foco e comprometimento sempre foram duas de suas qualidades mais admiradas. Em tudo que faz coloca boas doses de emoção e amor. Afirma com todas as letras e muito bom humor: “Eu gosto de gente!” e assim confirmamos que mesmo depois de algum tempo ensinar continua sendo a menina dos olhos de Carmem Maria Biscaro Verona.

Notas de uma vida

A música é uma das formas de arte e expressão mais antigas do mundo. Foi criada não apenas para ser ouvida, mas para ser sentida e apreciada. A música foi feita para ser “ouvida” com o coração. Com um sorriso tímido no rosto e um brilho sem igual nos olhos, João Batista Fernandes da Rocha, conhecido como Batista pela população videirense fala sobre sua relação com a música. Trabalhando a mais de 30 anos com essa arte, acumula boas histórias e uma grande experiência, com simplicidade nos contou sobre tudo o que leva na sua bagagem.

A paixão de uma vida

Uma bola nos pés e um coração no alto. Na garganta, o grito da vitória. No estômago, as borboletas do cotidiano. No corpo todo, em cada fibra, a dedicação para dar o melhor de si em qualquer desafio. Este é Márcio Brancher, natural de Videira, um atleta profissional que encontrou no futsal a sua paixão e cruzou o Atlântico para elevar sua carreira ao máximo.

Um sonho de canção

A plateia se levanta. Não aquela Plateia que lutou com Atenas nas Guerra Médicas e derrotou os persas, nem mesmo aquela que deriva do latim platea ou do grego plateia hodos e significa rua larga. A plateia que se ergue é o substantivo feminino: um conjunto de espectadores que ocupam um espaço designado. Plateia, o público que canta, pula, grita, se emociona e se permite sentir e extravasar. Aplaude. No palco, os irmãos Arthur Guilherme de Simas Secco e Alessandra de Simas Secco soltam a voz.