Seja mais criativo com trabalhos manuais


Tricotar, pintar e fazer crochê podem parecer atividades bastante monótonas e repetitivas para algumas pessoas. No entanto, estudos mostram que esse tipo de trabalho manual pode ajudar na concentração, redução do estresse e ainda aumentar sua capacidade criativa.Isso porque estas atividades oferecem benefícios semelhantes às técnicas de meditação,pois o movimento repetitivo pode fazer com que você entre em estado meditativo mesmo sem conhecer ou dominar nenhuma técnica.

 

Já não é novidade entre especialistas que a criatividade é uma das habilidades mais requisitadas em um profissional. Em 2019, um relatório intitulado “O Futuro do Trabalho” foi apresentado durante o Fórum Econômico Mundial de Davos. Segundo os dados analisados para o período de 2020 a 2022, a criatividade seria a 3ª competência mais desejada dentro do mercado de trabalho. Durante a pandemia, quando as empresas precisaram se reinventar para sobreviver, a tendência não poderia ter se provado mais precisa.

O que muitos ainda não sabem é que a criatividade pode ser desenvolvida e aprimorada, independentemente das aptidões particulares de cada um. E, para isso, um dos grandes aliados de quem quer aprender a ser mais criativo é o trabalho manual.

“Uma pessoa que desenvolve a criatividade a partir das artes manuais desenvolve potenciais criativos para atuar em todos os campos de trabalho, desde tarefas mais cotidianas, como as de relacionamento, até no desempenho da profissão”, diz a professora e artista plástica Darlyn Vargas. Darlyn é artesã e dá aulas em oficinas patrocinadas pela prefeitura de Joaçaba. Segundo ela, entrar em contato com qualquer forma de arte promove a ampliação da consciência física e mental, facilitando o autoconhecimento, a autoconfiança e resgatando a autoestima.

O estado de atenção plena atingido nesse tipo de atividade é comparado ao que podemos alcançar durante uma boa prática de meditação. Concentrar sua mente em tarefas como essas pode ajudar a desbloquear a criatividade. De acordo com a neurociência, a explicação para isso é simples: estas atividades funcionam como uma distração para a parte mais racional do cérebro, deixando o lado criativo livre para voar e ter ideias mais inovadoras.

 

POTENCIAL TERAPÊUTICO

 

Outro efeito bastante conhecido de quem faz algum tipo de trabalho manual é o estado de relaxamento. O excesso de estresse pode dificultar na resolução de problemas pois, quando a mente está exausta, perde parte do seu poder criativo e foca apenas em soluções óbvias que nem sempre irão resolver a situação a longo prazo.

Além disso, neurocientistas como a Dra. Kelly Lambert, da Universidade de Richmond, nos Estados Unidos, descobriram algo muito interessante: fazer trabalhos manuais reduz o índice de depressão.

Darlyn vê isso na prática. Ela conta que, em seus 25 anos de experiência, viu diversas pessoas tratarem de seus problemas psicológicos através do artesanato. “A arte traz momentos inesquecíveis, prazeres e alegrias incomparáveis. A arte salva”, diz.

A socialização é outro grande benefício, pois une pessoas com um mesmo objetivo: criar. Isso faz com que o indivíduo desenvolva sentimentos de companheirismo e apoio mútuo, além de ser uma ótima forma de conhecer pessoas com interesses comuns. É o caso das mulheres que fazem parte da AMOFLOR (Associação das Mulheres Oestinas em Florianópolis). Como o próprio nome diz, o grupo é formado por mulheres que se mudaram da região Oeste de Santa Catarina e foram para a capital.

Desde 2012, elas promovem encontros para desenvolver trabalhos voluntários e fortalecer a amizade entre essas mulheres que, muitas vezes, com dificuldade para fazer amizade na nova cidade, acabavam se sentindo sozinhas e deprimidas. “As mãos ocupadas mantêm a mente ocupada”, diz Jaci Paulina Pogere, artesã e atual presidente da AMOFLOR.

E, para aqueles que dizem não ter jeito para esse tipo de atividade, a sugestão de Jaci é bem simples: é só ter perseverança e disciplina. Certamente o esforço valerá a pena.

 

COMO COMEÇAR:

Se você quer começar e não sabe por onde, aqui vão algumas dicas:

* Procure uma atividade que te dê prazer: nada pior do que fazer algo que não gostamos, não é? Se ainda tivermos que fazer isso repetidamente, é pior ainda! Então, busque algo com que você se identifique. Há mais opções do que você pode imaginar: desde os mais tradicionais, como crochê e tricô, até terrários ou lacinhos para pets!

* Tenha um propósito: muitas pessoas fazem suas peças de artesanato e doam para obras de caridade. Você pode fazer casaquinhos de bebê para mães carentes ou, se já tiver facilidade com alguma atividade específica, pode desenvolver um projeto em alguma comunidade e aprimorar suas habilidades enquanto ensina um novo ofício para quem estiver sem renda.

* Pesquise e aprenda novas habilidades: há diversos cursos de artesanato e jardinagem disponíveis. Além disso, é possível encontrar vídeos ensinando técnicas simples que podem deixar o seu trabalho ainda mais interessante e divertido. Lembre-se: buscar informações é fundamental para não errar na compra e na forma de usar os de materiais.

* Conecte-se com a sua comunidade: cada região tem matérias-primas típicas e sua própria história a ser explorada. Por isso, busque referências e desenvolva sua arte colocando nela o seu olhar em relação ao que está à sua volta. A originalidade do seu trabalho vai ter um gostinho especial se estiver atrelada às suas raízes.

* Liberte-se: a produção das artes manuais está intimamente ligada à percepção subjetiva que o artista tem do mundo e funciona como uma forma de expressão pessoal. Por isso, rompa suas próprias barreiras internas e sinta-se livre para criar! Você certamente irá gostar muito mais do resultado do seu trabalho se puder se sentir representado por ele.

 

COMO O TRABALHO MANUAL AJUDA A MELHORAR O CÉREBRO

 

• Ensina paciência e perseverança.

• Incentiva a imaginação e a criatividade.

• Desenvolve a coordenação, percepção espacial e habilidades motoras finas.

• Estimula a concentração, pois foca os pensamentos em uma só

tarefa.

• Ensina o cérebro a buscar alternativas na resolução de problemas.

• Protege a memória e reduz o risco de deficiência mental.

• Ajuda a evitar transtornos cognitivos leves, uma vez que melhora a plasticidade neuronal.

• Traz plenitude e uma sensação de orgulho e conquista, o que estimula a produção de neurotransmissores como a serotonina e noradrenalina, evitando a depressão.

 

 

Ligia Rabay

li.rabay@gmail.com 


Matérias Relacionadas
COMENTÁRIOS